Atrevimentos


Querido Papai Noel

Não queria começar reclamando, mas esse ano foi complicado, principalmente nos últimos meses então trate de me atender. Fui uma boa moça e me comportei bem e por isso vou pedir os presentes e você vai trazer, tenho certeza.Segue a lista:

Miss1 – Quero presente de miss: paz mundial e aproveito para agradecer à minha família, sem a qual eu não estaria aqui, etc, etc (o senhor conhece o discurso, elas repetem igualzinho todo ano).

2 – Quero presente utópico: fim da corrupção e da impunidade neste país, ou seja, políticos honestos ou um monte de Joaquins Barbosas com suas caras de mau, convicção firme e destemor.

3 – Quero presente de malcriada: paz d’sprito,  que é o que respondo para todos que perguntam o que eu quero de Natal.

4 – Quero presente de véia: sossego. Tô de saco cheio  Estou cansada desse trânsito, calor, gente chata, corrente de oração na internet, povo que fala mal de política e dos políticos mas vai lá e vota de novo nos mesmos, violência, homofobia, machismo, e por aí vai. O senhor é velho sabe o que vai no coração das pessoas e pode descobrir o que nos desagrada.cinturinha

5- Quero presente de gordinha: uma cinturinha de vespa, barriga apenas levemente arredondada e lembre-se que odeio exercício físico, além de ter pés delicados que não toleram tênis e um ombro de merda complicado. Traga o kit saudável junto.

6 – Quero presente de condômino: fim das malditas reformas nos apartamentos vizinhos. Ninguém nunca está satisfeito, derruba tudo só prá fazer de novo e vou ficando cada vez mais louca com o barulho! Se esse povo quer morar em loft tá fazendo o que aqui?

7 – Quero presente de sorte: ganhar na Mega-Sena. Muitas vezes certo? Tenho que fazer um  monte de coisas e ajudar um monte de gente com o dinheiro, então não economize querido velhinho e não me deixe esquecer ninguém prá não ser amaldiçoada pelos ingratos que não respeitam a idade das pessoas e não entendem que elas esquecem e não é por maldade, e…

Bigbang8 – Quero presente de profecia maia: se o mundo acabar mesmo no dia 21 de dezembro, faça o favor de providenciar um melhor na próxima vez. Sem poluição, sem violência, sem terremoto, sem tsunami, sem novela das 8, sem doenças, sem desgraceira e não tô nem aí se esse negócio for um tédio. Os incomodados que se mudem; o universo é grande e tem espaço pra todo mundo. Pode trazer junto um kit de bom-humor?Miss Daisy

9 – Quero presente de madame: um carro com ar condicionado e motorista que dirija bem, não seja estressado e conheça todos os caminhos para fugir dos congestionamentos, das passeatas na Paulista e das enchentes e, se isso acontecer tudo ao mesmo tempo, que ele tenha um comportamento elegante e não fique resmungando, mas que tenha uma conversa inteligente que me impeça de resmungar e parecer deselegante.

10 – QuerSharono muitos presentes de mulherzinha: unhas que não quebrem; cabelos que cresçam fortes, saudáveis e não fiquem caindo feito besta ; uma pele eternamente sedosa e lisa que nunca jamais tenha jeito de maracujá esquecido na gaveta (e que dispense o uso de cremes caríssimos ou, caso eu precise usa-los de vez em quando, não me deixem com a cara da Cristiane Torloni na propaganda da Olay); peitos que não despenquem com a maldita gravidade; mãos que passem longe do aspecto das mãos da Madonna que eu adoro, mas que tá envelhecendo mal e sem noção; cérebro jovem, “ativo, operante e na escuta”, pra usar um jargão que acho ótimo; olhos que funcionem e não me obriguem a usar óculos, que são um acessório charmoso só quando você não precisa deles; dentes brancos, fortes e brilhantes e que não sejam provenientes de uma prótese bem feita;resumindo aparencia e Q.I.  da Sharon Stone, que o senhor bem sabe é de 154!

Então veja bem querido velhinho de roupas ridículas e fora de moda, além de inadequadas para nosso clima, meus pedidos continuam modestos e de acordo com as necessidades mais básicas de uma mulher comum. Não há desculpas para não me atender.

Beijos e amor da Lagartixa.

Anúncios

LEGGING

Estão pelas ruas já faz um tempo. Gordinhas, magricelas, altas, baixas, pernas retas, pernas tortas, pernas perfeitas, com bunda, sem bunda, comprimento longo, até o meio da canela, curto… Eu acho que legging não orna com nada, mas se você gosta e não estiver fingindo que é vocalista de banda glam rock anos 80, por favor fuja das metálicas ou com estampas de oncinha e não se iluda, aquela cor “nude” não é neutra coisa nenhuma, só é horrorosa.

MEIA PATA

Aquelas botas de cano alto, sandálias cheias de tirinhas, sapatos com modelos variados, tamancos, tudo com salto altíssimo e uma meia sola alta na frente orna com o que? Certamente não com vestidos curtos e justos ou shorts, além do que essa combinação pode passar uma impressão errada sobre a profissão que você exerce. Fico me perguntando porque os fashionistas criam esses sapatos torturantes desde a antiga China mas ainda não consegui uma resposta satisfatória. Continuarei pesquisando.

BATOM VERMELHO

Batom vermelho não orna com lábios finos.  Se você não for a Reese Witherspoon numa foto super produzida de anúncio da Avon (e boquinha aumentada no photoshop), evite.  Ao usar essa cor na boca fininha você sempre corre o risco de ficar um pouco parecida com o Coringa.


ALÇA DE SOUTIEN

Você pode ser uma cantora famosa, com uma voz linda, mas note que alça de soutien aparecendo pode novamente levantar suspeitas sobre sua profissão e não orna com moças elegantes. Alças de material plástico supostamente transparentes nem merecem comentário.

SILICONE

Exagerar no silicone e sair por aí com as próteses na janela não é bonito e não orna nem com Victória Beckham que é uma exibida de primeira.

 

DAVID BECKHAM

Já David pode vestir ou desvestir qualquer coisa que sempre orna não é?!


 

Hoje faço aniversário e antes que alguém se empolgue e venha com aquele negócio de “ah que legal!!!!!!”  informo que são muitos anos de vida… muitos mesmo, o que de vez em quando não é legal. Nunca curti muito essa história de aniversariar, nem quando criança, nem quando adolescente e nem depois de adulta.

Quando o clima era mais constante, todos os anos chovia nessa data querida e não era chuvinha amena, era daquelas chuvas de verão do tipo derruba-árvore e as crianças não podiam sair de casa para ir na minha festinha; o bolo simplezinho, os brigadeiros e o guaraná ficavam lá, tristes-tristes, me fazendo companhia e eu não sentia muitas felicidades.

Olho pras minhas ruguinhas e penso que não combinam com :

1-  Dean Winchester. É um sujeito lindo e fico semanalmente torcendo para que ele mate todos os vampiros e lobisomens que encontrar naquelas cidades americanas esquisitas, e de preferência que faça isso sem camisa.

2- O vampiro Eric Northman. Não quero que ninguém o mate, mesmo ele sendo mau e ordinário (e de preferência quero que ele fique sem camisa)

3- Nas mesmas cidades caipiras americanas de Eric reside o lobisomem Alcide. E quem em sã consciência vai querer sua morte ? (nem vou falar da camisa ou da falta dela)

4- Jax Teller. Esse pode se vestir como quiser, mas a moto é essencial. E a trilha roqueira da série também.

Perceberam que tenho um gosto adolescente para séries de TV e seus protagonistas? O mesmo se dá com relação aos filmes; gosto de coisas como a trilogia Senhor dos Anéis, Tubarão, qualquer coisa de Quentin Tarantino, Caçadores da Arca Perdida e suas sequências, Guerra nas Estrelas e suas sequências, Avatar, Harry Potter, e muitos outros como e sses cujos nomes esqueci numa descarada perda de memória o que também não combina com uma senhora com muitos anos de vida.

Amo toda parafernália tecnológica. Usei gravador de voz de fita; passei do VHS para o DVD e agora para  Blu-ray e 3-D e espero poder assistir, se ntada no sofá da minha sala, filmes com imagem holográfica . Conheci o disco 78 rotações, o long-play high-fidelity, o CD e hoje ouço tudo em digital.

Gravei muito arquivo em disquete de 5 1/4 com capacidade de armazenar 360KB ou 1,2 MB, dependendo se eram de simples ou dupla densidade, e fazer isso demorava pra caramba. S e o a rquivo fosse grande precisava usar vários disquetes que ia etiquetando (com etiqueta de papel) e numerando na sequência. Se um desses dinossaurinhos estragasse, não havia drive (que era uma fenda na frente da CPU) que os lesse; era desastre total. Agora é tudo em pen drive e tenho uns que parecem de brinquedo  mas armazenam um montão de Gigas.

No quesito estilo, detesto roupas tipo saco de batatas, disformes e supostamente indicadas para “gente velha”. Detesto aqueles sapatos largos e de saltinho baixo, com cara de ortopédico que deixam o pé como o da Minnie Mouse, lembram dela?

Detesto aquele corte de cabelo batidinho na nuca e que é um “must” entre as velhinhas mais simplezinhas aqui do bairro. Odeio solenemente o estilo “americana brega”, armado, “desfiado” e com toneladas de laquê, como o que Sylvia, mãe de Fran Fine usava no seriado The Nanny, alguém ainda se lembra?

Mas, mesmo com essas referências antigas pululando aqui no blog, devo dizer que tenho uma alma jovem e que neste corpinho com algumas décadas de uso  felizmente bate um coração adolescente e sonhador.





 

Causou certo frisson a notícia veiculada dias atrás dizendo que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi visto passeando de mãos dadas com Ellen Gracie ministra do Supremo Tribunal Federal.

Não vi nenhum alarde na mídia tradicional, mas nas conversas de botequim e nas midias sociais como o twitter e o facebook, a coisa virou assunto. Os comentários nem sempre foram favoráveis e li alguns deboches; parece que para muita gente o direito de relacionamentos, principalmente em se tratando de mulheres, acaba cedo.

Qual é o problema se houver mesmo um romance entre um homem e uma mulher, ambos saudáveis e absolutamente cientes de seus atos?  Porque pensar que pessoas mais velhas não podem se apaixonar?

A grande meleca é que neste país, como em outros por aí afora, o culto à juventude é uma doença incurável até o presente momento.

Envelhecer fisicamente parece uma praga bíblica a ser enfrentada com todos os exorcismos que a cirurgia plástica pode oferecer. Exige-se a aparência idealizada e divulgada no cinema, editorial de revista de moda, anúncios  e novela. Quem ganha com isso são as academias de ginástica, os fabricantes de cosméticos “anti idade”, as clínicas de cirurgias plásticas… Quem perde somos todos nós que iremos envelhecer um dia.

Parece que depois dos 50 anos as mulheres só podem ser avós; às vezes uma avó “bem apanhada”, mas sempre avó. Não pode mais se apaixonar, não pode amar nem ser amada,  é obrigada a aposentar a sexualidade e o desejo. Puro preconceito de gente desinformada.

Homens tem um prazo de validade um pouco maior graças à outra doença que nos assola: o machismo. Homens mais velhos podem desfilar com suas novas parceiras, desde que elas tenham menos de 40 é claro; de preferência que tenham menos de 30!

O ex presidente é uma pessoa inteligente, bem sucedida, culta, influente em seu campo de atuação e o mesmo se pode dizer da ministra. Fatalmente qualquer coisa que os envolva vai aparecer na mídia porque são conhecidos e portanto, notícia. Mas está cheio de Zés e Marias acima dos 50 anos se apaixonando por aí o que me faz voltar á pergunta inicial: e daí?

Fiquem espertos! O coração não se aposenta cedo não! Se não estiverem satisfeitos com essa verdade, vão cuidar da própria vida e parem de se preocupar com a vida alheia.

E finalmente alguém do Santos tem a coragem de dizer que no caso Neymar é tudo uma questão de valores, simplesmente de dinheiro. Um lance de “produto” e “valor agregado”.

A jornalista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo, publicou em sua coluna desta quinta feira (sem dar o nome da fonte), que o que irritou os dirigentes do clube foi a insensibilidade do técnico Dorival Jr. na questão do “prejuízo financeiro” que as punições dadas ao jogador trariam ao clube. O glorioso Peixe leva 30% de tudo que é gerado com a venda da imagem do “garoto”: contratos publicitários, licenciamento de produtos, etc…é muita escama pra uma sardinha!

Segundo essa fonte o Santos ficaria prejudicado com a “humilhação” do jogador. Na página de esportes do mesmo jornal, na coluna Painel FC, está a afirmação de que os interessados em patrocinar o clube estão esperando para ver até onde vai essa situação para depois decidirem onde investir o próprio dinheiro.

Eu, que até curtia a propaganda da Panasonic, agora quando vejo o jogador dando piscadinha e anunciando máquina fotográfica e filmadora sinto certo desconforto e não devo ser a única. Para mim e para o público consumidor em geral que vê futebol como esporte, o que fica é a imagem de um jovem abusado e cheio de “poder” no mal sentido. Se não for resolvido logo ou se esse episódio voltar a acontecer, Neymar corre o risco de ficar com a marca de “mimadinho” e de perder o respeito que conseguiu às custas de seu talento inegável.

Para meros mortais o futebol é jogo de equipe e quando um dos participantes se acha acima dos demais a coisa complica. Entendo que Neymar ainda é bastante jovem; aos 18 anos ninguém é super maduro e ele precisa de suporte como qualquer outro com essa idade. Cabe aos que administram sua carreira ajuda-lo a carregar o fardo de ser ídolo de torcida, exemplo de milhares de jovens e detentor de salário na casa dos milhões e por essas e outras, alvo preferencial da imprensa especializada. Se fosse um jogador menos famoso que desse esse xilique em campo é provável que tudo passasse despercebido.

Cabe aos que comandam o futebol, dirigentes e técnicos, trazer de volta o verdadeiro esporte. Eu gostaria que   essa lenga lenga esmagadora de dinheiro e patrocínio que faz o jogador virar mercadoria vendida à quem pagar mais tivesse um fim, mas isso é sonho. A realidade é que ali no campo são onze contra onze e estrelismo, seja de quem for,  só atrapalha.

No mais, o povo quer é resultado mano.

Querido (ou não, tudo vai depender da sua resposta) Papai Noel

O senhor deve trocar figurinha com seu Superior porque sabe tudo o que a gente faz durante o ano. Por isso não preciso contar que fui uma pessoa legal, pratiquei boas ações, defendi as criancinhas, os velhinhos, os bichinhos  e as plantinhas.

O senhor está informado (Ele deve ter contado) que num momento de loucura decidi fazer uma reforma básica do piso aqui no apê na tentativa de não matar meus cachorros mijões de não estressar quando meus animais de estimação fazem suas necessidades aquáticas pela casa toda .

Mas o senhor sabe, uma coisa puxa outra e precisei fazer também uma reforma na parte elétrica da cabana. Fiquei super falida feliz porque pensei que iria resolver o problema dos milhares de fios pretos esparramados debaixo da mesinha de trabalho.

Doce ilusão, querido velhinho! O que consegui foi um novo problema : o governo aprovou a fabricação de uma tomada num formato esquisito, que não aceita quase nenhum dos plugues existentes. Resultado: a medida favorece só os fabricantes de tomadas e “adaptadores”. Pra esses o senhor nem precisa dar presente; já receberam antecipado.

Continuo com o problema antigo e acima está a foto que é auto-explicativa.

Então Papai Noel, o que quero de presente neste Natal é simples: um computador igual  á esse ai do lado. Já falei sobre ele. É fabricado pela Dell, chama Studio One 19 e custa uma bagatela (para o senhor que não está reformando o Pólo Norte, é claro).  Está vendo que ele não tem fio? Está vendo que tem na cor vermelha? Está entendendo que com tudo o que gastei na maldita reforma fiquei sem dinheiro para comprar? Dá para entender que não aceito desculpas?

O senhor tem meu enderêço e pode mandar entregar antes do Natal se quiser. Se fizer isso continuarei a ser uma boa senhora e pode ser que até doe o meu PC aranha para uma instituição de caridade.

Se não fizer deixo de acreditar na sua existência e, quando meus futuros netos perguntarem à seu respeito,  vou me fazer de louca e responder “Sei lá! Se existe não entende nada de computador”

Lentamente vou recuperando os espaços dentro da casa. Já tenho a cama e um pedaço do quarto de volta, ou seja, não durmo mais estilo “pé pra fora” no sofá. A sala também ficou metade disponível e o banheiro pode ser usado, desde que com cuidado. Aos poucos os pedreiros vão abrindo caminho para minha vida voltar ao normal.

Foi pensando nesses pequenos avanços que sai para passear com os cachorros e, talvez porque “espaço” esteja na ordem do dia olhei melhor as ruas aqui por perto. E fiquei espantada! Na quadra antes da minha casa abriram, nos últimos seis meses, 3 restaurantes chics que se juntam a um bistrô, um de comida contemporânea, um “por kilo”, uma pizzaria, um chinês delivery e um botecão, já existentes. Na quadra em que moro, outro botecão e uma casa sendo reformada para mais um restaurante, bem ao lado de uma doceria, um restaurante italiano, um de comida caseira e outro “por kilo”.

Tendo dinheiro não passarei fome…mas o problema é que também não andarei tranquila pelas calçadas. O costume por aqui é estacionar sobre as calçadas nas porta dos distintos estabelecimentos para pegar os clientes e o pedestre que se dane. Será que os fregueses sabem que é proibido estacionar na maioria das ruas próximas? Será que sabem que os manobristas largarão seus carrões  provavelmente em locais proibidos? Salvo o povo trabalhador das redondezas, que vai à pé nos botecos e nos “por kilo”, o resto vai ajudar, com as multas, a  encher os cofres da prefeitura que está expedindo alvarás de funcionamento à torto e a direito sem se preocupar com nada, como sempre.

Prá mim está tudo bem. Fecho a cara e olho feio para os seguranças e manobristas e fico esperando que tirem o carro para poder passar. Se me encaram, solto o tradicional “a calçada é do pedestre e não é estacionamento!”. Nenhum resistiu até agora, e os resmungos me fazem rir secretamente. Pensem que tenho menos de 1,60m, já sou quase uma “Idosa” e ando com um poodle e um maltês. Percebem o ridículo da cena?

Próxima Página »