Esportes


Se você tem a infelicidade de morar perto de onde os atletas matinais passam correndo esbanjando saúde e força de vontade, esqueça. Domingo não é dia de descanso.

O percurso pelas ruas interditadas para o evento conta com uma presença muito especial: os animadores de corrida.

Vestidos com shorts, camisetas coloridas com nome de patrocinadores estampados no peito e bonés enterrados na cabeça chova ou faça sol, os grupos postam-se nas esquinas por onde os participantes passarão e ficam aos gritos e palmas incentivando os corredores.

Para você que mora próximo ao percurso, não é corredor, deu plantão até as 6 da manhã, teve crise de insônia, está com enxaqueca ou ressaca, só posso dizer uma coisa: os campeões do UUURRRRRÚÚÚÚÚÚÚÚÚ não estão nem aí para o seu descanso.  Então entre as coisas que você pode fazer está levantar-se às 8:30 da manhã, abrir a janela e ficar olhando meia dúzia de gatos pingados passarem se arrastando pela rua. O pelotão principal já foi e os retardatários são os que mais precisam de incentivo certo? e dá-lhes gritos, palmas, apoio, tudo amplificado pelo eco nas ruas desertas…

Voce pode também optar por enterrar a cabeça no travesseiro e rezar para que o inferno engula aqueles pseudo atletas das palminhas enquanto pensa “se esses idiotas são tão bem dispostos assim tão cedo, porque não estão lá correndo, gastando energia e respirando com dificuldade suficiente para abafar os gritinhos?”

Mas no fim sua atitude provavelmente será igual à minha: com um ódio mortal no coração você se levanta, vai pra cozinha fazer um café, aproveita para trocar a água dos cachorros e dos gatos, olha para a pilha de roupas para passar e resignadamente imagina que sua manhã será super produtiva já que agora terá tempo de sobra.

Bom domingo.

Anúncios

E finalmente alguém do Santos tem a coragem de dizer que no caso Neymar é tudo uma questão de valores, simplesmente de dinheiro. Um lance de “produto” e “valor agregado”.

A jornalista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo, publicou em sua coluna desta quinta feira (sem dar o nome da fonte), que o que irritou os dirigentes do clube foi a insensibilidade do técnico Dorival Jr. na questão do “prejuízo financeiro” que as punições dadas ao jogador trariam ao clube. O glorioso Peixe leva 30% de tudo que é gerado com a venda da imagem do “garoto”: contratos publicitários, licenciamento de produtos, etc…é muita escama pra uma sardinha!

Segundo essa fonte o Santos ficaria prejudicado com a “humilhação” do jogador. Na página de esportes do mesmo jornal, na coluna Painel FC, está a afirmação de que os interessados em patrocinar o clube estão esperando para ver até onde vai essa situação para depois decidirem onde investir o próprio dinheiro.

Eu, que até curtia a propaganda da Panasonic, agora quando vejo o jogador dando piscadinha e anunciando máquina fotográfica e filmadora sinto certo desconforto e não devo ser a única. Para mim e para o público consumidor em geral que vê futebol como esporte, o que fica é a imagem de um jovem abusado e cheio de “poder” no mal sentido. Se não for resolvido logo ou se esse episódio voltar a acontecer, Neymar corre o risco de ficar com a marca de “mimadinho” e de perder o respeito que conseguiu às custas de seu talento inegável.

Para meros mortais o futebol é jogo de equipe e quando um dos participantes se acha acima dos demais a coisa complica. Entendo que Neymar ainda é bastante jovem; aos 18 anos ninguém é super maduro e ele precisa de suporte como qualquer outro com essa idade. Cabe aos que administram sua carreira ajuda-lo a carregar o fardo de ser ídolo de torcida, exemplo de milhares de jovens e detentor de salário na casa dos milhões e por essas e outras, alvo preferencial da imprensa especializada. Se fosse um jogador menos famoso que desse esse xilique em campo é provável que tudo passasse despercebido.

Cabe aos que comandam o futebol, dirigentes e técnicos, trazer de volta o verdadeiro esporte. Eu gostaria que   essa lenga lenga esmagadora de dinheiro e patrocínio que faz o jogador virar mercadoria vendida à quem pagar mais tivesse um fim, mas isso é sonho. A realidade é que ali no campo são onze contra onze e estrelismo, seja de quem for,  só atrapalha.

No mais, o povo quer é resultado mano.

Estava aqui vendo um daqueles programas de transformação, onde a pessoa entra um jaburú  feinha e mal vestida e sai um cisne  quase uma top model, quando lembrei de uma frase que meu tio dizia: “o mundo gira e a Lusitana roda…”.

Era o comercial da transportadora, mas sempre achei o pensamento muito profundo. Acredito piamente que seja uma alusão ao fato de que nada é imutável, tudo é mudança (baixou em mim o espírito do Imperador).

Susan BoyleSusan Boyle (de novo ela) mudou o visual e, de ” quarentona ridícula e de aparência desleixada” de quem muita gente riu, passou para cantora respeitada, bem vestida na opinião de quem acha que paletó de couro e acharpe fazem milagre,  e musa inspiradora para o roteiro de um filme. Simon Cowell não dorme em serviço gente!

 Imagino que o enredo do tal filme  mostrará uma história de luta e superação tão ao gosto dos americanos. Material é que não falta: solteira aos 47 anos, moradora de uma pequena cidade, cuidou da mãe doente durante muito tempo; ao nascer sofreu com falta de oxigenação, o que causou um ligeiro distúrbio cerebral. Daí é só chamar a Merryl Streep para o papel principal (que pode ser o de Susan, o de sua mãe ou até o de Simon) e o Oscar está garantido.

Ronaldo ou Ronalducho , antes conhecido como Ronaldinho (até aparecer um outro – o Gaúcho),consertou os dentes, mudou o penteado, foi pro Corinthians e voltou a ser o herói das multidões.

Está fazendo gols sensacionais, levando a torcida ao delírio e deixando os cartolas felicíssimos porque quanto mais gols mais patrocínio, mais dinheiro em caixa.

Ninguém mais se lembra dos travestis no motel, das noitadas com o mulherio em boates ou do casamento com a Cicarelli no castelo francês. Os vexames ficaram no passado e agora é só sorrisos e “partir pro abraço”! Também poderia virar filme pois “material humano” é o que não falta.

 DilmaA Ministra Dilma Rousseff, antiga militante do grupo guerrilheiro VAR-Palmares, mudou  na fisionomia, mostrando o poder de mutação do “Poder”. Dilma

Só não mudaram os dedinhos afoitos que ela faz questão de levantar em posições diferentes e bastante elucidativas. Os óculos  parecem ser os mesmos; o modelo do paletó idem. Pensando bem acho que ela, só mudou de agremiação política.lula-e-marisa3

Como ela, o presidente Lula e dona Marisa Letícia também deram um salto de glamour e deixaram para tras a imagem da Galega e do Metalúrgico.

Enfim, é como dizia meu tio: o mundo gira e a Lusitana roda…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

garrincha2Aos 20 minutos do primeiro tempo do jogo entre Corinthians e São Paulo pelo Campeonato Paulista,  placar de zero a zero, entrei no taxi rumo à minha casa.

O motorista mirrado, caladão, cabelos e bigodes grisalhos dirigia tranquilo pelas ruas da Lapa, sem pressa nenhuma, aproveitando a tarde de domingo e o trânsito inexistente por conta do final de feriadão. Sem ter mais nada para fazer além de olhar a paisagem pela janelinha, prestei atenção ao som que vinha do rádio e o que estávamos ouvindo  era um locutor calmo comentando, em tom cpeleoloquial, sobre o clássico que se desenrolava no Pacaembú.

Nada de gritos, nenhuma histeria, nenhuma tirada espirituosa, nada!!! Pensei com meus inexistentes botões “Nossa! Acho que esse taxista não liga pra futebol! Aliás, olhe zico2só…encontrou um sujeito que fala de esportes no rádio e não berra!!!!! Estranho….”.

Mal havia concluído minha tosca linha de raciocínio que ligava homens, futebol, gritaria no rádio, torcida organizada, estádio lotado, trânsito caótico e pancadaria quando o  locutor super zen disse em voz baixa: ” Gol. Miranda abre o placar….”. Na mesma hora o taxista mudou de estação, correndo para uma daquelas emissoras tradicionais, bem a tempo de pegar a narrativa cheia de empolgação do locutor e o finalzinho do grito  ” …..OOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL!!!!!!!!!!!!!!! Mirandaaaaaaaaaaaaa!! !Mirandda, num toque de cabeça abre indioo placar no Pacaembúúúúúúúú´!!!!!!!” Então entra o comentarista, que sempre acompanha o locutor, completando” Miranda numa jogada ensaiada, faz um a zero pro São Paulo”

OK. Já que o motorista nem piscou também fiquei na minha. Achei que ele fosse corinthiano e estivesse aborrecido com o gol contra seu time de coraçãokaka2.

Voltamos a escutar a rádio zen…Três minutos depois, novamente a voz aveludada: ” Elias marca….” .A mão ágil do taxista mais uma vez voa para o painel do rádio e sintoniza o doido que aos berros anuncia: “EEEEEEEEEEELLLLLIIIAAAAaaassssssssssssssssssss!!!! Eliiiiaassss,Elias!!!!!!”. O suposto corinthiano que me levava para casa ergueu ligeiramente as sobrancelhas, mas calado estava e assim ficou. Eu sentadinhaaline no banco de trás pensava agoniada : “Mas quem, caramba, é esse Elias??? Pra qual dos times ele joga????”  Quando finalmente o locutor esportivo sossegou o facho, vem o comentarista  animado e feliz e esclarece: ” Gol de Elias igualando o placar no estádio do Pacaembú” e continuou explicando a “bonita jogada numa arrancada, etc”…usando todos os chavões futebolísticos possíveis, mas me permitindo saber que aquele era um gol de empate.

rivelinoNão aguentei e falei como quem não quer nada: “Esse jogo vai ser assim né?! Nervoso…Todo mundo querendo ganhar…O senhor torce pra algum dos times?” Depois de me conceder uma olhadinha pelo retrovisor, o motorista em voz baixa e gentil responde: “Sabe, eu não me importo com isso. Tanto faz quem ganha ou quem perde, futebol é só pra arrancar mais dinheiro do povão bobo que não ganha nada. É só pra encher o bolso dos jogadores e dos cartolas”didi

Concordei: “É, o senhor tem razão. Foi-se o tempo que jogador honrava a camisa do time! Nunca que um jogador de um time iria jogar no time adversário…”. “Hoje jogar futebol é uma profissão, um emprego; quem oferece melhor salário leva o funcionário”,  disse ele depois de outra olhadinha pelo retrovisor e emendou: ” Por isso que não torço pra time nenhum!”

 Com essa reflexão sobre o futebol dos dias de hoje encerramos a viagem. Desci do taxi e ao longe podia ouvir o barulho na torcida lá no Estádio do Pacaembú; o povão vibrando com cada jogada.

Algum tempo depois rojões estouram por todos os lados e a gritaria na casa do vizinho me leva a procurar o canal de esportes para ver o que estava acontecendo. Assisto o replay do gol marcado pelo jogador Cristian, aos 48 minutos do segundo tempo, levando o Timão à vitória.

CRISTIANAssisto também o gesto obceno que esse jogador fez para a torcida e para as câmeras de televisão, confirmando aquilo que o zen-taxista havia dito – não vale mais a pena.

 Agora em vez da alegria, o insulto.

Que coisa mais triste.

 Já declarei que não gosto de esportes e que quando assisto presto atenção em tudo menos na disputa em si. Com espírito de porco zapeei as transmissões esportivas parando ao acaso e consegui ver cenas incríveis. Aproveitei e fiquei dando minhas notas para depois fingir que era uma chinezinha sorridente, magra, alta, de vestido azul e distribuindo as medalhas.

1 – No Judô João Derly e Pedro Dias resolvem no tapa tatame uma encrenca amorosa e para eles entreguei as medalhas de Ouro, Prata e Bronze na modalidade “Baixaria” , com a seguinte classificação:

Ouro : Pedro Dias (se ficasse quieto o mundo não saberia que ganhou um par de adornos nada olímpicos).

Prata : João Derly (mandou a mãe distrair o amigo e cantou a namorada do dito cujo? Talvez isso merecesse um empate no ouro? Fiquei na dúvida!

Bronze : Joana Ramos (OK moça, o brasileiro até que é bem bonitinho, mas precisava sair por aí contando e arrumando encrenca ??)

 

2 – Na Luta Greco Romana, modalidade Espírito Olímpico, a medalha de ouro vai sem sombra de dúvida para Ara Abrahamian. Seu gesto foi tão inesperado, que mesmo após extenuantes pesquisas na internet, não encontrei sequer uma imagem ou vídeo do momento em que ele taca a medalha no chão. Acho que nenhum fotógrafo ou cinegrafista estava prestando atenção nele, o que também pode explicar sua raivinha. Só achei  a fotinho da medalha desprezada.

  

3 – Na Ginástica Artística , modalidade Acontece…, medalha de Ouro para Diego Hypólito. O moço que era o favorito levou um tombo e a expressão em seu rosto captada na foto estampada na primeira página do jornal Folha de São Paulo já diz tudo.  Essa medalha entreguei com dor no coração porque mesmo sem entender nada de nada, achei que ele não merecia.

  

4 – Em Atletismo  a medalha Pódium Mais Bonito, sem dúvida pertence às Jamaicanas Shelly An Fraser, Sherone Simpson e Keiron Stewart,respectivamente, Ouro, Prata e Bronze em 100 metros rasos.

 As meninas foram sensacionais na prova e nos sorrisos. Está aí a foto que não me deixa mentir.

 

5- Finalmente, a medalha Nhóoinnn, Que Lindinho vai para César Cielo. Ele fica com Ouro, Prata e Bronze porque tem coisa mais emocionante e sincera do que um atleta desse porte chorando feito um bebê? Até as pedras de Pequim derrubaram uma lágrima furtiva, tenho certeza!