dezembro 2012


melindrosaAntigamente dizia-se que elas eram do balacobaco. Depois, mulheres fáceis e em seguida as meninas do paz e amor; mais tarde viraram liberadas e hoje são chamadas de periguetes. Tem também as várias Marias que escolhem os rapazes de acordo com suas profissões ou posses: Maria-Chuteira, Maria Gasolina, Maria-Breteira e vejam só, Maria-Apostila que para mim é uma Maria totalmente inédita.

Estou falando, é claro, das mulheres que não seguem algumas regras pré estabelecidas de comportamento e que não estão nem aí para o que falam delas.mulher gato

O que chamou minha atenção para o assunto foi um artigo de Mirian Goldenberg, publicado em 18/12 no caderno Equilíbrio do Jornal Folha de São Paulo. Nele homens com idade entre 32 e 42 anos, todos com formação universitária, reclamam da “agressividade” das mulheres. Dizem que se sentem constrangidos, que as mulheres estão muito “oferecidas”, que essa disponibilidade toda “não dá o menor tesão” e contam atitudes tomadas pelas mais afoitas.

Esse discurso, sem bem me lembro, era feito por mulheres  conservadoras; também era usado pelas indignadas para ofender a vizinha desquitada e/ou gostosona que, supostamente, betty_anosdouradosvirava os olhos para os filhos, maridos e namorados alheios.

O que os entrevistados não dizem, mas certamente sabem, é que que essas moças estão reproduzindo o comportamento sexual antes reservado apenas aos homens e que agora pode ser adotado por todos: o sexo como pura diversão.

Me parece que alguns homens estão sentindo falta da emoção da “caça” e da “conquista” o que deve ser gens herdado dos antepassados neandertais ou então, saudade do tempo em que as garotas deviam ser românticas  ingênuas e os rapazes garanhões espertos porque o homem era o ser superior a quem se devia obediência e ponto final.

barbie-the-blonde-collection1É sintomático que digam que falta mulher interessante “no mercado” como se fossemos sabão em pó e devessemos ficar todas na prateleira esperando pelo nosso comprador. Não aceitam muito bem que as mulheres tomem a iniciativa antes reservada à eles e demonstrem abertamente um interesse apenas sexual.

Será que os rapazes já se esqueceram do tempo em que eles  próprios separavam as moças em “prá casar” e “prá se divertir”?

Não estou defendendo que as mulheres adotem o comportamento “masculino”  porque ir de um estereótipo à outro não resolve muita coisa, mas defendo o direito que todos tem de resolver como levar sua própria vida sexual. Se o que muitas meninas querem é diversão sem compromisso, tudo bem. Se alguns homens ficam melindrados com isso, tudo bem também.homem chorando

Só não falem de nós como se fôssemos todas umas descerebradas fúteis e assumam de uma vez por todas que mulheres adultas são capazes de decidir o que querem para elas próprias e vão em busca do que querem. É chocante? Lamento queridos, mas assim é a vida e se não estão muito contentes com essa nova situação, lutem para que não sejam vistos apenas como objeto.

Nós já estamos conseguindo.

Anúncios

gráfico O mercado de construção civil está em franca ascenção graças, principalmente, ao bairro onde moro e ao prédio onde habito. Pedreiros, encanadores, pintores, empreiteiros e ajudantes em geral devem estar enriquecendo rápidamente e terão um Natal animado.

É impressionante o número de reformas por aqui. O povo nunca está satisfeito com o imóvel que comprou ou  alugou, mesmo que tenha sido recém reformado ou construído.

Derrubam tudo: paredes, banheiros, azulejos, cozinhas, áreas de serviço, muros; fecham janelas em uma parede e abrem em outra, destroem pisos, criam novas portas, botam telhados abdemolição1aixo e, suprasumo da modernidade capenga, alguns forram as telhas com uma manta prateada que deixa as casas com cara de OVNI.

É o paraíso dos quebra-quebra e das demolições. O serviço em geral começa logo cedo, mas existem excessões.

Em uma obra vizinha o pedreiro aparentemente exerce outra atividade no horário comercial, entre as 8 e as 18 horas porque, aproveitando o horário de verão, ele chega diariamente as 18:30h e começa a demolir um muro ou udemolicao3m pedaço de parede usando a ferramenta da moda: a britadeira, enquanto o sol brilha feliz. Tenho que reconhecer o esforço honesto do rapaz nessa dupla jornada, mas confesso que sinto ganas de descer e socar aquele rostinho provavelmente coberto de pó de cimento.

No apartamento de cima, em reforma atualmente, derrubaram quase todas as paredes, tiraram portas, arrancaram todo o piso, destruíram os banheiros, a cozinha e a área de serviço, sempre usando, preferencialmente, outra ferramenta muito em voga: a marreta.

Se vocês pensarem que, exceto nas paredes dos quartos e sala, todas essas áreas são cobertas de azulejos e pisos cerâmicos colados com um material super resistente, elaborado provavelmente no inferno e com o aval do demo, podem imaginar o nível de barulho produzido das 9 as 16:30h com pausa de 30 minutos para almoço.

As pancadas são tão fortes que derrubam objetos da minha estante; os animais que dividem o espaço comigo fogem assustados, procurando esconderijos; eu estou á beira de uma crise de nervos; os outros vizinhos também já cansaram de reclamar, então apenas esperam resignados que a obra termine.malas

Adianta reclamar? Claro que não! Eles “precisam” quebrar, destruir, recontruir e se eu não estou satisfeita, fazer o que? Me mudar até que a obra termine? Se os futuros vizinhos quiserem podem me oferecer  hospedagem em uma casa de campo com todas as despesas pagas que aceitarei com o maior prazer.

LoftSe o proprietário quer transformar seu apartamento recém adquirido em loft ou juntar espaços, que se ponham as paredes abaixo sem a menor cerimônia; “o engenheiro garantiu que é seguro”, esses novos vãos enormes “não vão comprometer a estrutura do prédio”ou “a senhora pode ficar tranquila”. As frases estão ali, na ponta da língua daqueles a quem pedimos explicações. Acredito que naquele prédio que ruiu no Rio de Janeiro durante uma reforma também não havia “motivos para preocupação”. Não que eu queira ser fatalista, mas seguro morreu de velho.

Realmente me falta inteligência para entender o porque de tanto descontentamento com a planta original dos prédios. Desejando um apartamento ou casa com uma cara totalmente diferente da que existe, porque compraram essa? Mudar uma cor de parede, um acabamento de banheiro, fazer uma suíte para maior conforto, uma coisinha aqui e ali para satisfazer o gosto e a necessidade pessoal é compreensível, mas construir um imóvel completamente novo?  Isso acontece em muitos prédios e duvido que exista morador feliz com essa situação.

Tornei-me  “a chata” simplesmente porque não suporto mais horas e horas diárias de barulho ensurdecedor.

Que os novos vizinhos que nem conheço me perdoem, mas eu não sinto amor por eles nesse momento. Detesto também todo mundo que acha essas obras “normal”. Fiquem sabendo que nem ligo de ser a “reclamona”  e que meu humor está vários níveis abaixo de zero; não é preciso desenhar um gráfico para explicar os motivos.

Talvez no futuro, se vier a conhece-los melhor e descobrir que eles são pessoas muito simpáticas, possa gostar deles.

Mas por enquanto, tomara que o Papai Noel não traga nenhum presente para eles; que chova se eles forem passar o Reveillon na praia; que faça o maior calor se forem atrás de neve, e que no próximo ano, quando eles já estiverem instalados aqui no prédio, o vizinho do andar acima do deles faça uma reforma monumental, digna de figurar no Guinness.

No mais, muita paz, saúde, amor e felicidade.

Querido Papai Noel

Não queria começar reclamando, mas esse ano foi complicado, principalmente nos últimos meses então trate de me atender. Fui uma boa moça e me comportei bem e por isso vou pedir os presentes e você vai trazer, tenho certeza.Segue a lista:

Miss1 – Quero presente de miss: paz mundial e aproveito para agradecer à minha família, sem a qual eu não estaria aqui, etc, etc (o senhor conhece o discurso, elas repetem igualzinho todo ano).

2 – Quero presente utópico: fim da corrupção e da impunidade neste país, ou seja, políticos honestos ou um monte de Joaquins Barbosas com suas caras de mau, convicção firme e destemor.

3 – Quero presente de malcriada: paz d’sprito,  que é o que respondo para todos que perguntam o que eu quero de Natal.

4 – Quero presente de véia: sossego. Tô de saco cheio  Estou cansada desse trânsito, calor, gente chata, corrente de oração na internet, povo que fala mal de política e dos políticos mas vai lá e vota de novo nos mesmos, violência, homofobia, machismo, e por aí vai. O senhor é velho sabe o que vai no coração das pessoas e pode descobrir o que nos desagrada.cinturinha

5- Quero presente de gordinha: uma cinturinha de vespa, barriga apenas levemente arredondada e lembre-se que odeio exercício físico, além de ter pés delicados que não toleram tênis e um ombro de merda complicado. Traga o kit saudável junto.

6 – Quero presente de condômino: fim das malditas reformas nos apartamentos vizinhos. Ninguém nunca está satisfeito, derruba tudo só prá fazer de novo e vou ficando cada vez mais louca com o barulho! Se esse povo quer morar em loft tá fazendo o que aqui?

7 – Quero presente de sorte: ganhar na Mega-Sena. Muitas vezes certo? Tenho que fazer um  monte de coisas e ajudar um monte de gente com o dinheiro, então não economize querido velhinho e não me deixe esquecer ninguém prá não ser amaldiçoada pelos ingratos que não respeitam a idade das pessoas e não entendem que elas esquecem e não é por maldade, e…

Bigbang8 – Quero presente de profecia maia: se o mundo acabar mesmo no dia 21 de dezembro, faça o favor de providenciar um melhor na próxima vez. Sem poluição, sem violência, sem terremoto, sem tsunami, sem novela das 8, sem doenças, sem desgraceira e não tô nem aí se esse negócio for um tédio. Os incomodados que se mudem; o universo é grande e tem espaço pra todo mundo. Pode trazer junto um kit de bom-humor?Miss Daisy

9 – Quero presente de madame: um carro com ar condicionado e motorista que dirija bem, não seja estressado e conheça todos os caminhos para fugir dos congestionamentos, das passeatas na Paulista e das enchentes e, se isso acontecer tudo ao mesmo tempo, que ele tenha um comportamento elegante e não fique resmungando, mas que tenha uma conversa inteligente que me impeça de resmungar e parecer deselegante.

10 – QuerSharono muitos presentes de mulherzinha: unhas que não quebrem; cabelos que cresçam fortes, saudáveis e não fiquem caindo feito besta ; uma pele eternamente sedosa e lisa que nunca jamais tenha jeito de maracujá esquecido na gaveta (e que dispense o uso de cremes caríssimos ou, caso eu precise usa-los de vez em quando, não me deixem com a cara da Cristiane Torloni na propaganda da Olay); peitos que não despenquem com a maldita gravidade; mãos que passem longe do aspecto das mãos da Madonna que eu adoro, mas que tá envelhecendo mal e sem noção; cérebro jovem, “ativo, operante e na escuta”, pra usar um jargão que acho ótimo; olhos que funcionem e não me obriguem a usar óculos, que são um acessório charmoso só quando você não precisa deles; dentes brancos, fortes e brilhantes e que não sejam provenientes de uma prótese bem feita;resumindo aparencia e Q.I.  da Sharon Stone, que o senhor bem sabe é de 154!

Então veja bem querido velhinho de roupas ridículas e fora de moda, além de inadequadas para nosso clima, meus pedidos continuam modestos e de acordo com as necessidades mais básicas de uma mulher comum. Não há desculpas para não me atender.

Beijos e amor da Lagartixa.

Hoje perdi um grande amigo.

Yin&YangUm amigo de 4 patas que tinha uma imensidão de amor disponível para todo mundo. Porque ele era assim, oferecido, simpático, brincalhão e cheio de vontade de fazer novos amigos, fossem esses humanos, caninos ou felinos.

Bruce Lee editadoO título de mais feio ele recebeu, em tom de brincadeira do veterinário, na primeira consulta e mesmo sendo a “mãe” não pude contestar. Era a mais pura verdade.

Bruce Lee foi um filhote horrível; parecia um guaxinim descabelado, tinha uma faixa de pelos escuros e arrepiados nas costas, pelo grosso, crespo e de cor indefinida no resto do corpo, uma cicatriz na perna e uma pança que indicava verminose.

Aos 4 meses era o último filhote da ninhada e ninguém o queria. Na primeira vez que o vi fiquei tão apaixonada que nem percebi a feiúra. Tudo o que eu via eram seus imensos e doces olhos castanhos e uma espécie de “sorriso” que ele deu quando olhou pra mim. Achei que o tinha escolhido, mas me enganei, quem escolheu foi ele e desse dia em diante esteve sempre ao meu lado, me seguindo onde quer que eu fosse.

No caminho para casa expliquei que ele teria a companhia de um outro cão e de alguns gatos e por isso teria que ser gentil e ele pareceu concordar, mas aos poucos foi se impondo com delicadeza e simpatia  e virou chefe da matilha que incluia: eu, outro cão, alguns gatos e quem quer que nos visitasse.

Dizíamos que ele “só faltava falar”. Latia e me avisava quando a máquina de lavar acabava o ciclo, quando o microondas terminava a tarefa, quando a comida passava do ponto no forno ou na panela. Sabia também reconhecer o sinal sonoro do desligamento do Windows: ouvia e já se levantava encerrando o expediente.

Carregava pra todo lado seu pano para deitar em cima e se esquecesse ou ficasse com preguiça, bastava dizer :”cadê seu paninho?” e num instante o pano todo muvucado estava aos meus pés. À noite, na hora de dormir, ele esperava que eu colocasse o tal paninho no cesto, pulava em cima e cobria os Imagem 009olhos com a pata, num sinal de que eu deveria cobri-lo, como se faz com uma criança.

Enquanto escolho as fotos para o post percebo que ele sempre fazia pose, ficava sério e exibia o melhor ângulo. Quase nunca consegui fotografar o tal “sorriso” porque assim que ele via a máquina fotográfica ou o celular apontados, encarava a câmera com ar compenetrado. Só no dia em que foi apresentado a um cão fake é que não se conteve.Bruce 2

Hoje, infelizmente seu coração falhou e ele se foi. Assim sem mais nem menos, depois de mais de uma década ao meu lado, meu amigo partiu.

Não há nada que eu possa fazer além de dizer o quanto eu o amava e contar à todos o quanto ele era especial. Deixo post e fotos na Internet e, de vez em quando, alguém ao vê-lo vai dizer “Mas como assim, o cão mais feio?”