maio 2011


A região de Higienópolis/Pacaembú deve ser uma das que tem maior número de trabalhadores domésticos por metro quadrado. Não sei se existem pesquisas para validar minha opinião, mas duvido que madames e afins dediquem seu tempo para faxina e  arrumação da própria casa.

Como os moradores das classes média e alta (salvo raríssimas excessões)  não andam de transporte público faço uma pergunta para os 3.500 assinantes da lista Defenda Higienópolis: como é que vocês acham que seus prestadores de serviços domésticos, os vendedores das lojas, os funcionários dos hospitais, dos restaurantes, os bancários, os operários de obras, os funcionários do prédio, etc., etc.,  que moram na periferia da cidade conseguem vir trabalhar? Teleporte ou usando metrô, onibus e trens?

O preconceito embutido  na expressão “gente diferenciada”  usada pelos “defensores” do bairro é o mesmo de quem acha que negro é inferior, que nordestino é sujo, que pobre é perigoso; é o preconceito de quem se acha bacana demais só porque deu sorte de nascer em uma família financeiramente privilegiada ou porque conseguiu juntar um dinheiro no banco; pessoas alienadas que talvez pensem que são duendes e fadas que executam todo o trabalho que elas sequer reconhecem ou sabem fazer.

Acreditar que estação de Metrô traz insegurança ao bairro é idiotice: a estação servirá aos mesmos que hoje chegam de onibus e trem e se localizada em ponto estratégico vai permitir que os moradores mais conscientes deixem seus carros em casa; contribuirá para que o ar desta área chamada de nobre seja menos poluído e para que o trânsito flua melhor; permitirá que as pessoas trabalhem mais felizes e bem dispostas porque não sofreram para chegar ao trabalho.

Se vai acontecer um churrascão com pagode e protesto na porta do shopping eu não sei, mas está na hora do governo – que é responsável pelas obras do Metrô –  mostrar à quem serve: se à maioria da população que o elegeu ou se á uma minoria privilegiada e preconceituosa. As cartas estão na mesa, se ligue Governador!

Anúncios

Antigamente se dizia que educação vinha “do berço” e aprendíamos com nossas famílias as 3 palavras mágicas: por favor, obrigada, com licença; era lei comer de boca fechada e tirar os cotovelos de cima da mesa. Também aprendíamos o respeito pelos mais velhos, cantigas de roda, brincar de “passa anel”, boneca e casinha, esconde-esconde, jogar futebol nos terrenos baldios e todos os vizinhos se conheciam.

Depois o conceito mudou e muita gente achava que educar era papel próprio da escola. As crianças e adolescentes aprendiam as “matérias”,  professores davam  “trabalhos em grupo” numa tentativa de interação entre os  alunos e se formavam pequenos círculos de amigos dentro da própria escola. Já não eram tão comuns as brincadeiras na rua nem a amizade com a vizinhança. O negócio era preparar para o mercado de trabalho que se expandia…

Agora a história felizmente é outra. Percebemos que só o envolvimento da comunidade (que amplia o conceito de vizinhança), da escola e da família proporciona uma educação mais completa, preparando as crianças e os jovens para um futuro melhor, dando à eles condições para melhorarem o aprendizado e o desempenho escolar, tornando-os capazes de maior participação na vida pública e comunitária.

Dentro dessa premissa a Fundação  Itaú Social junto com a Unicef está realizando a 9ª edição do Prêmio Itaú-Unicef com o tema Educação Integral: experiências que    transformam e convidam as ONGs envolvidas com esse tema à participarem.

Os prêmios são ótimos e as inscrições vão até 31 de maio, em qualquer agência Itaú ou aqui no site.  Se tiver alguma dúvida pode ligar para a Central de Atendimento: 0800 701 7104, de 2ª a 6ª feira, das 9h às 18h.

Com licença, o que você está esperando? Por favor, corra lá e inscreva sua ONG!!! Obrigada.

A nova campanha do Itaú  “O mundo muda e as empresas precisam fazer cada vez mais”,  mostra com uma liguagem dinâmica e bem humorada que o banco está oferecendo uma ajuda importante e bem vinda para as empresas: os especialistas em finanças.

Ter alguém que entende do assunto cuidando dessa área traz a tranquilidade necessária para que o empresário possa focar sua atenção nas outras decisões gerenciais do dia a dia inerentes ao seu negócio e, vamos combinar: quem não gosta de “uma mão amiga” ainda mais quando vem acompanhada de competência?!

A campanha, assinada pela DM9DDB contempla filmes, spots, anúncios para revista, jornal e internet e leva a assinatura “Itaú. Feito para você. Feito para a sua empresa.”