Animais


Hoje perdi um grande amigo.

Yin&YangUm amigo de 4 patas que tinha uma imensidão de amor disponível para todo mundo. Porque ele era assim, oferecido, simpático, brincalhão e cheio de vontade de fazer novos amigos, fossem esses humanos, caninos ou felinos.

Bruce Lee editadoO título de mais feio ele recebeu, em tom de brincadeira do veterinário, na primeira consulta e mesmo sendo a “mãe” não pude contestar. Era a mais pura verdade.

Bruce Lee foi um filhote horrível; parecia um guaxinim descabelado, tinha uma faixa de pelos escuros e arrepiados nas costas, pelo grosso, crespo e de cor indefinida no resto do corpo, uma cicatriz na perna e uma pança que indicava verminose.

Aos 4 meses era o último filhote da ninhada e ninguém o queria. Na primeira vez que o vi fiquei tão apaixonada que nem percebi a feiúra. Tudo o que eu via eram seus imensos e doces olhos castanhos e uma espécie de “sorriso” que ele deu quando olhou pra mim. Achei que o tinha escolhido, mas me enganei, quem escolheu foi ele e desse dia em diante esteve sempre ao meu lado, me seguindo onde quer que eu fosse.

No caminho para casa expliquei que ele teria a companhia de um outro cão e de alguns gatos e por isso teria que ser gentil e ele pareceu concordar, mas aos poucos foi se impondo com delicadeza e simpatia  e virou chefe da matilha que incluia: eu, outro cão, alguns gatos e quem quer que nos visitasse.

Dizíamos que ele “só faltava falar”. Latia e me avisava quando a máquina de lavar acabava o ciclo, quando o microondas terminava a tarefa, quando a comida passava do ponto no forno ou na panela. Sabia também reconhecer o sinal sonoro do desligamento do Windows: ouvia e já se levantava encerrando o expediente.

Carregava pra todo lado seu pano para deitar em cima e se esquecesse ou ficasse com preguiça, bastava dizer :”cadê seu paninho?” e num instante o pano todo muvucado estava aos meus pés. À noite, na hora de dormir, ele esperava que eu colocasse o tal paninho no cesto, pulava em cima e cobria os Imagem 009olhos com a pata, num sinal de que eu deveria cobri-lo, como se faz com uma criança.

Enquanto escolho as fotos para o post percebo que ele sempre fazia pose, ficava sério e exibia o melhor ângulo. Quase nunca consegui fotografar o tal “sorriso” porque assim que ele via a máquina fotográfica ou o celular apontados, encarava a câmera com ar compenetrado. Só no dia em que foi apresentado a um cão fake é que não se conteve.Bruce 2

Hoje, infelizmente seu coração falhou e ele se foi. Assim sem mais nem menos, depois de mais de uma década ao meu lado, meu amigo partiu.

Não há nada que eu possa fazer além de dizer o quanto eu o amava e contar à todos o quanto ele era especial. Deixo post e fotos na Internet e, de vez em quando, alguém ao vê-lo vai dizer “Mas como assim, o cão mais feio?”

Há cinco anos comprei um pequeno salão de cabeleireiros instalado em um antigo sobrado  e toda manhã, quando chegava ao trabalho, encontrava uma trilha de florzinhas semi-devoradas e espalhadas pelo chão. Descobri que junto com escovas e secadores havia herdado um bando de ratos “jardineiros” que moravam no terreno baldio ao lado e vinham à noite comer nos vasos de flores.

Chamei um dedetizador “especialista” em ratos que cândidamente explicou:

– Esses ratos só morrem com veneno. Vamos espalhar e a senhora vai ver só! Não sobra um!

– Mas, mas…

– Fique tranquila. Eu espalho as iscas de veneno e eles levam pros ninhos. A senhora sabia que são os ratos velhos e doentes que fazem a busca da comida?  Se o rato come o veneno e morre eles já sabem que ali não podem se alimentar e mandam outro velhinho que já tá meio pra morrer procurar em outro lugar; são uns bichos espertos!  Esse veneno aqui não mata na hora, por isso eles levam lá pro ninho. Todos comem, os adultos, os filhotes… e daí o sangue deles seca e morrem lá na toca mesmo. Não fica cheiro nem nada, só os rato seco.

– Mas, mas…

Não consegui sequer pensar em ser responsável por aquela matança indiscriminada e gentilmente disse para o frio e eficiente profissional que iria pensar.

Precisava encontrar um jeito menos violento de lidar com aquilo. Liguei para um veterinário amigo e perguntei o que fazer para os ratos irem embora e a resposta foi: arrume um gato. Ele explicou que os gatos são os predadores naturais dos ratos e que só o cheiro deles já afastaria os visitantes indesejados; podia ser até um filhote que o efeito era o mesmo.

E foi assim que o Spray entrou para a família. Durante um ano eu o levava diariamente para “trabalhar” comigo e o trazia para casa à noite. O negócio de “só ameaçar” funcionou e os  ratos sumiram sem deixar rastros. Quando vendi minha parte na sociedade, recolhi as tijelas, a caminha, os brinquedos e fomos para casa.

O Spray tinha complexo de cão e me seguia por todo canto; como todo gato, sentava na frente do monitor do PC ou da TV quando achava que não estava recebendo atenção suficiente; miava desesperado lançando olhares para a torneira quando queria beber água corrente. Subia no sofá e deitava sobre minha barriga para assistirmos nossas séries favoritas; me olhava feio quando levava bronca porque comia a comida do cachorro.

No começo deste mês ele adoeceu e, apesar de todos os cuidados, na semana passada ele se foi.

Agora deve ter algum lugar no céu onde os ratos não pisam. E certamente não é porque os anjos resolveram usar veneno mas sim porque meu destemido amigo caçador está lá enfrentando e espantando os ratos folgados.

Querido (ou não, tudo vai depender da sua resposta) Papai Noel

O senhor deve trocar figurinha com seu Superior porque sabe tudo o que a gente faz durante o ano. Por isso não preciso contar que fui uma pessoa legal, pratiquei boas ações, defendi as criancinhas, os velhinhos, os bichinhos  e as plantinhas.

O senhor está informado (Ele deve ter contado) que num momento de loucura decidi fazer uma reforma básica do piso aqui no apê na tentativa de não matar meus cachorros mijões de não estressar quando meus animais de estimação fazem suas necessidades aquáticas pela casa toda .

Mas o senhor sabe, uma coisa puxa outra e precisei fazer também uma reforma na parte elétrica da cabana. Fiquei super falida feliz porque pensei que iria resolver o problema dos milhares de fios pretos esparramados debaixo da mesinha de trabalho.

Doce ilusão, querido velhinho! O que consegui foi um novo problema : o governo aprovou a fabricação de uma tomada num formato esquisito, que não aceita quase nenhum dos plugues existentes. Resultado: a medida favorece só os fabricantes de tomadas e “adaptadores”. Pra esses o senhor nem precisa dar presente; já receberam antecipado.

Continuo com o problema antigo e acima está a foto que é auto-explicativa.

Então Papai Noel, o que quero de presente neste Natal é simples: um computador igual  á esse ai do lado. Já falei sobre ele. É fabricado pela Dell, chama Studio One 19 e custa uma bagatela (para o senhor que não está reformando o Pólo Norte, é claro).  Está vendo que ele não tem fio? Está vendo que tem na cor vermelha? Está entendendo que com tudo o que gastei na maldita reforma fiquei sem dinheiro para comprar? Dá para entender que não aceito desculpas?

O senhor tem meu enderêço e pode mandar entregar antes do Natal se quiser. Se fizer isso continuarei a ser uma boa senhora e pode ser que até doe o meu PC aranha para uma instituição de caridade.

Se não fizer deixo de acreditar na sua existência e, quando meus futuros netos perguntarem à seu respeito,  vou me fazer de louca e responder “Sei lá! Se existe não entende nada de computador”

FoxMeu cachorro, essa belezinha aí da foto, “pegou” carrapatos   o que poderia não ser nada demais caso morassemos em sitio, fazenda ou matinho. Não é o caso.

Meu bairro é urbano e todo asfaltado, de classe média – alta em algumas ruas, altíssima em alguns prédios, beirando a realeza em outros e, média simples,  no meu caso.

Muitos moradores têm  propriedades rurais, com direito à poneis, cavalos, bois, vacas e outros animais, incluindo carrapatos e, como os cães acompanham seus donos nos bucólicos finais de semana , acabam voltado infestados de parasitas. Durante a semana, graças ao descaso e  má educação desses donos, lá estão os garbosos pets circulando pelas ruas do bairro e deixando na calçada, além de fezes e urina, os malditos carrapatos.

Descubro que carrapato é coisa para cachorro de rico mesmo; o tratamento é  caro e demorado. Além de cuidar do cachorro preciso “tratar” também do ambiente passando na casa inteira um produto que tem aviso de “cuidado veneno” na caixinha, o que me deixa um pouco apreensiva. Como carrapato cai no chão e sai andando procurando esconderijos, comecei a olhar para o sofá da sala com muita desconfiança e encaro o tapete como um inimigo a ser destruído.

Meu cachorro nem sai à rua, justamente porque sei que o bairro, alem dos cocôs, tem as calçadas povoadas também de parasitas. Fui informada pelo veterinário que carrapato pode descer escadas, subir em paredes e entrar por baixo das portas procurando um hospedeiro.  Pode também viajar no vento! Deosdocéo!!! Parece filme B.

Agora a solução é  gastar rios de dinheiros com o combate aos Invasores de Corpos Residente Evil na minha casa e no meu cachorro, além é claro de amaldiçoar todos os dias essa gente folgada que tem bicho e não cuida.

Akita Depois de postar aqui  sobre a lei de proteção aos animais, recebi um e-mail com outra denúncia gravíssima sobre maus tratos, dessa vez envolvendo o Centro de Controle de Zoonose de São Paulo – CCZ.

Após denúncias de associações de proteção aos animais, a Rede Record de São Paulo fez uma série de reportagens apresentando a situação dos cães que são recolhBrackidos diariamente nas ruas de nossa cidade, com imagens arrepiantes de cães confinados em espaços pequenos, sujos, úmidos e escuros e sem nenhuma espécie de cuidado.  Por isso, antes de assistir ao vídeo, prepare seu coração!

Depois tente responder: Se não estão sendo adotados, para onde estão indo os animais capturados diariamente?

Existe a lei nº 12.916, de 16/04/2008 que obriga o poder público a cuidar dos animais recolhidos, vejam só:

Irmãos“Artigo 2º – Fica vedada a eliminação da vida de cães e de gatos pelos órgãos de controle de zoonoses, canis públicos e estabelecimentos oficiais congêneres, exceção feita à eutanásia, permitida nos casos de males, doenças graves ou enfermidades infecto-contagiosas  incuráveis que coloquem em risco a saúde de pessoas ou de outros animais.

§ 1º – A eutanásia será justificada por laudo do responsável técnico pelos órgãos e estabelecimentos referidos no caput deste artigo, precedidoCalvin, quando for o caso, de exame laboratorial, facultado o acesso aos documentos por entidades de proteção dos animais.

§ 2º – Ressalvada a hipótese de doença infecto-contagiosa incurável, que ofereça risco à saúde pública, o animal que se encontre na situação prevista no “caput” poderá ser disponibilizado para resgate por entidade de proteção dos animais, mediante assinatura de termo de integral responsabilidade.”

MelinaRepararam no Artigo 2º ?  Pois é mais ou menos nele que o Sr. Marco Antonio Vigilato, reponsável pelo Centro de Controle de Zoonose de São Paulo se ampara.

Na entrevista,  que esse servidor municipal se dignou a conceder somente após a repercussão das denúncias, ele se justifica dizendo que manda matar animais “doentes”; “agressivos”; que não podem mais “participar do convívio social”; animais “mordedores” e “bravios”; informa candidamente que os animais estão ali confinados para observação.Oxer

Lamentávelmente as imagens e depoimentos desmentem o sr. Vigilato e até mesmo o repórter da Rede Record perde a paciência ao final da entrevista.Por isso antes de assistir ao vídeo, prepare seu estômago!

Depois me respondam: qual animal não terá desvio de comportamento após ser submetido à confinamento, agressão, fome, etc?

NegonaComo não tenho esperança de que o sr. Vigilato mude suas atitudes, deixo a sugestão de que os interessados em proteger os animais e os participantes de ONGS de São Paulo visitem o CCZ. Constatado os maus tratos registrem um Boletim de Ocorrência  na delegacia mais próxima. Quem sabe assim nosso prefeito dê atenção ao caso e  esse servidor público seja exonerado?

Para quem não tem paciência ou tempo para fazer a Caramelovisita e o B.O. aqui vai o link de uma petição pela exoneração do sr. Marco Antonio Vigilato: http://migre.me/19OC 

P.S: As fotos que ilustram esse post foram tiradas de sites de adoção:

http://www.queroumbicho.com.br/http://tobybaez.fotoblog.uol.com.br/

 http://adotacao.blogspot.com/

 http://sao-paulo.vivastreet.com.br/adocao-animais+sao-paulo-capital

 http://br.geocities.com/adoteumamiguinho/caes_para_adotar.html (desatualizada + é so ligar pra eles que eles dão as informações com um delicioso sotaque lusitano)lacinho

Golpe

   San