Querido Papai Noel

Não queria começar reclamando, mas esse ano foi complicado, principalmente nos últimos meses então trate de me atender. Fui uma boa moça e me comportei bem e por isso vou pedir os presentes e você vai trazer, tenho certeza.Segue a lista:

Miss1 – Quero presente de miss: paz mundial e aproveito para agradecer à minha família, sem a qual eu não estaria aqui, etc, etc (o senhor conhece o discurso, elas repetem igualzinho todo ano).

2 – Quero presente utópico: fim da corrupção e da impunidade neste país, ou seja, políticos honestos ou um monte de Joaquins Barbosas com suas caras de mau, convicção firme e destemor.

3 – Quero presente de malcriada: paz d’sprito,  que é o que respondo para todos que perguntam o que eu quero de Natal.

4 – Quero presente de véia: sossego. Tô de saco cheio  Estou cansada desse trânsito, calor, gente chata, corrente de oração na internet, povo que fala mal de política e dos políticos mas vai lá e vota de novo nos mesmos, violência, homofobia, machismo, e por aí vai. O senhor é velho sabe o que vai no coração das pessoas e pode descobrir o que nos desagrada.cinturinha

5- Quero presente de gordinha: uma cinturinha de vespa, barriga apenas levemente arredondada e lembre-se que odeio exercício físico, além de ter pés delicados que não toleram tênis e um ombro de merda complicado. Traga o kit saudável junto.

6 – Quero presente de condômino: fim das malditas reformas nos apartamentos vizinhos. Ninguém nunca está satisfeito, derruba tudo só prá fazer de novo e vou ficando cada vez mais louca com o barulho! Se esse povo quer morar em loft tá fazendo o que aqui?

7 – Quero presente de sorte: ganhar na Mega-Sena. Muitas vezes certo? Tenho que fazer um  monte de coisas e ajudar um monte de gente com o dinheiro, então não economize querido velhinho e não me deixe esquecer ninguém prá não ser amaldiçoada pelos ingratos que não respeitam a idade das pessoas e não entendem que elas esquecem e não é por maldade, e…

Bigbang8 – Quero presente de profecia maia: se o mundo acabar mesmo no dia 21 de dezembro, faça o favor de providenciar um melhor na próxima vez. Sem poluição, sem violência, sem terremoto, sem tsunami, sem novela das 8, sem doenças, sem desgraceira e não tô nem aí se esse negócio for um tédio. Os incomodados que se mudem; o universo é grande e tem espaço pra todo mundo. Pode trazer junto um kit de bom-humor?Miss Daisy

9 – Quero presente de madame: um carro com ar condicionado e motorista que dirija bem, não seja estressado e conheça todos os caminhos para fugir dos congestionamentos, das passeatas na Paulista e das enchentes e, se isso acontecer tudo ao mesmo tempo, que ele tenha um comportamento elegante e não fique resmungando, mas que tenha uma conversa inteligente que me impeça de resmungar e parecer deselegante.

10 – QuerSharono muitos presentes de mulherzinha: unhas que não quebrem; cabelos que cresçam fortes, saudáveis e não fiquem caindo feito besta ; uma pele eternamente sedosa e lisa que nunca jamais tenha jeito de maracujá esquecido na gaveta (e que dispense o uso de cremes caríssimos ou, caso eu precise usa-los de vez em quando, não me deixem com a cara da Cristiane Torloni na propaganda da Olay); peitos que não despenquem com a maldita gravidade; mãos que passem longe do aspecto das mãos da Madonna que eu adoro, mas que tá envelhecendo mal e sem noção; cérebro jovem, “ativo, operante e na escuta”, pra usar um jargão que acho ótimo; olhos que funcionem e não me obriguem a usar óculos, que são um acessório charmoso só quando você não precisa deles; dentes brancos, fortes e brilhantes e que não sejam provenientes de uma prótese bem feita;resumindo aparencia e Q.I.  da Sharon Stone, que o senhor bem sabe é de 154!

Então veja bem querido velhinho de roupas ridículas e fora de moda, além de inadequadas para nosso clima, meus pedidos continuam modestos e de acordo com as necessidades mais básicas de uma mulher comum. Não há desculpas para não me atender.

Beijos e amor da Lagartixa.

Anúncios

E aí Papai Noel?! Tudo bem com o senhor?
Já sei que estou atrasada, que estamos caminhando para a segunda quinzena de janeiro e tal, mas fazer o que? Essa sou eu, uma Lagartixa cuja filosofia de vida de vez em quando é “Demora mas faz” e vou confessar que não tenho nenhum orgulho disso.

Tenho é vergonha de ficar empurrando as decisões com a barriga e por isso mesmo, meu querido, é que quero mudar meu comportamento. Então, como não pedi nada de presente de Natal, vou pedir de Ano Inteiro, pode ser? Ainda dá tempo não é, porque o Natal não acabou, as lojas continuam oferecendo liquidações fantásticas e eu ainda não desmanchei a árvore cheia de pinduricalhos e luzinhas em volta da qual reuni minha amada família para comemorar o seu dia. Vamos à listinha dos pedidos:

Força e coragem para cumprir a meta de levar os cachorros pra passear pelo menos uma vez por dia. Todo ano prometo que vou fazer isso, mas um dia está chovendo, no outro tenho trabalho para fazer, no outro estou esperando uma ligação, no outro… enfim, os bichinhos estão, assim como eu, criando lindos pneus ao redor do abdomem, lembrando que no meu caso é frente e verso, sabe como é?

Determinação para começar e terminar um trabalho de patchwork antes de começar outro porque, fala sério, tem uma hora em que 3 grandes colchas junto com 2 ou 3 caminhos de mesa, 2 panôs e 1 bolsa, esperam pacientemente no fundo do baú o momento em que terminadas, serão gloriosamente exibidas no Twitpic e tudo bem que não faço isso para ganhar dinheiro. Mesmo sendo um hobby, quando percebo que isso está acontecendo de novo, saio correndo para acabar tudo de uma vez e é um stress que vou te contar…acaba com todo o prazer do trabalho.

Cegueira momentânea diante de lojas com coisas lindas e inúteis ou desnecessárias naquele momento, inteligência para perceber que ninguém precisa de 50 pares de sapato, nem de 30 bolsas, nem de trocentas blusas, milhentos vestidos, 8 livros por semana…e por aí vai.

Tolerância com a falta de educação, de bom gosto, bom senso, boa vontade, honestidade, gentileza, dedicação e cidadania das pessoas com quem cruzo nos espaços públicos. E também preciso de compreensão para perceber que o segurança do supermercado está me seguindo porque gostou de mim e não porque me achou com cara de quem vai roubar um um frango e esconder na calcinha. Ou, quem sabe, ficar perambulando é o trabalho dele…

Me dê paciência para não sair no tapa com aquele atendente estúpido; com a vendedora grosseira e desinteressada; com as mães de shopping que levam seus rebentos para correr e gritar pelos corredores e áreas de alimentação; com o sujeito que conversa durante a projeção de um filme como se estivesse na sala de sua casa; com o senhor de meia idade que se acha “o” civilizado e fica na fila (depois de tentar furá-la) falando mal de brasileiro; com o jovem que finge dormir nos vagões dos trens e do metrô para não dar lugar às gestantes, idosos e deficientes; com os motoristas que agem como se estivesse sozinhos na rua. Sei que o senhor é esperto e notou que preciso é de paciência para lidar com grande parte da humanidade, por isso mande muita, mas muita mesmo.

Preciso também de um desconfiômetro que apite quando passo mais de uma hora naqueles joguinhos terríveis e viciantes do Facebook. Diga, bom velhinho, como eles conseguem me fazer acreditar que preciso ficar horas colhendo plantações virtuais, construindo casinhas virtuais, alimentando bichinhos que nem existem, ganhando estrelinhas e experiência, atendendo centenas de pedidos dos “amigos e vizinhos” e as vezes, gastando meu dinheiro real para comprar ferraduras, coroas, ou seja lá qual for o “dinheirinho” do jogo, só para poder terminar uma “missão”? Preciso entender o mecanismo desse hábito porque é muita falta de noção…

Também quero parar de falar palavrão e ser mais sociável, simpática, doce, afável e …. eca! Retiro este pedido.

Nem preciso dizer que fui superboazinha no ano passado. O senhor viu que tirando o mal humor e o desejo arrogante de mudar o mundo, fiz tudo direitinho. Então me atende, por favor, porque senão a coisa vai ficar cada vez mais feia e dia desses saio no jornal estapeando o povo todo. Aí vão me apontar na rua e falar “aquela velha louca!!!” e serei obrigada a esclarecer que a responsabilidade  é toda sua, que me negou coisas simples e necessárias.

Bom Ano Novo!