Nestas últimas semanas estou percebendo, muito a contra-gosto, que o pós venda é completamente irrelevante para certas lojas e o que impera é o salve-se quem puder.

Fiz algumas compras recentemente e numa delas fui informada, só na véspera da entrega agendada, que eles não tinham o produto em estoque e demoraria mais uma semana para chegar. Simples assim.

Em outra, o site da loja diz que o prazo para montagem do móvel é em até 7 dias úteis depois da entrega e publica um número de telefone para que o cliente ligue agendando. Detalhe: o número não funciona. Ligo para o 0800 deles com a esperanmudançaça de fazer o tal agendamento e a moça me informa que o prazo é de até 15 dias úteis depois da entrega. E só descobri isso depois porque na hora da venda essa informação não está em lugar nenhum.

Para essas lojas, o comprador é um “boa vida” que pode ficar o dia todo em casa esperando os entregadores e/ou montadores ou todo mundo que comprou, mas precisa trabalhar, tem portaria no prédio para receber os produtos. Detalhe: entregar para o porteiro pode, mas montagens só são feitas na presença do morador ou de um responsável, então peça férias ou demita-se do emprego, se preferir.

Quem já conseguiu falar com um atendente de SAC para resolver um problema de entrega, seja via telefone ou chat, e não recebeu resposta robótica, nem foi  tratado como um completo descerebrado que precisa que “nosso consultor” repita inúmeras vezes a mesma coisa, é afortunado.

Alguém ouviu o atendente pedir desculpas pelo erro cometido pela loja que vendeu produto sem ter no estoque, o que é expressamente proibido por lei (à menos que o cliente seja avisado antes da compra)? Nem eu.

Tenho a impressão que alguns atendentes/consultores sentem prazer em levar o cliente às raias da insanidade.  Depois de algum tempo tentando inutilmente obter uma resposta satisfatória você perde a paciência e se irrita; ainda assim respira fundo e espera o sujeito falar novamente, mas o que escuta é a repetição exata de tudo o que ele já havia dito, na mesma sequência, com a mesma entonação, com a mesma ironia. Confesso que preciso de um esforço enorme nessa hora para continuar “uma lady”, nem sempre com sucesso.

Existe lei para proteger o direito do consumidor, mas quem liga?

Portanto, se o cachorro comeu seu sofá, ou se seu marido fugiu com a vizinha e carregou a mobília, ou se você se mudou e não tem móveis no novo lar, ou a enchente carregou tudo o que você tinha, ou se apenas decidiu se livrar das coisas antigas e doou tudo para a caridade (que é eficiente e passa rapidinho para recolher as doações), recomendo que vá ao supermercado mais próximo, pegue algumas caixas de papelão, guarde suas coisas nelas e empilhe tudo em um cantinho. Se quiser jogue um pano bonito por cima… vai dar um ar de despojamento.

Pode ser que num dia desses, a loja te faça uma surpresa entregando e montando os móveis que você escolheu com carinho, comprou e pagou, e você se sentirá tão feliz que nem vai mais se lembrar de como o processo foi doloroso.