Os Sete pecados Capitais por Jerome Bosch

E aí vem a Semana Santa, depois a Páscoa e as preocupações com a salvação da minha alma aumentando porque pra mim a semana não tem nada de santa sabem?

Cometo vários pecados, começando pela Gula: imagino como vou preparar o bacalhau que me aguarda lá no freezer há meses.  Farei ao forno com batatas douradas como pepitas ou uma salada fria com tomates cor de rubi, folhas de couve rasgada na cor esmeralda, ovos perolados e fio de azeite brilhante como ouro derretido? Sempre penso no bacalhau assim: precioso, colorido,  super caro, um verdadeiro tesouro a ser aberto apenas uma vez por ano e junto o pecado da Avareza na minha listinha.

Em seguida vem o ovo de Páscoa, maldita invenção de quem não tinha mais nada a fazer além de criar esse objeto de desejo insano, cheio de gordura e açúcar. Mas como resistir aos pedacinhos macios de chocolate derretendo devagar na boca, cobrindo a língua de sabores e fazendo o céu da boca estalar de prazer? Deus do céu, acho que esse é por definição um prazer carnal e acrescenta Luxúria à minha lista!

Claro que a chave de ouro é a Preguiça. Depois de comer essas coisas deliciosas e engordantes deveria correr para a Academia mais próxima, mas quem diz que faço? Ficarei largadona no sofá, feliz da vida, lendo um livro de Elmore Leonard, zapeando a TV… e tirando um cochilo.

Acho que depois disso tudo só ajoelhando no milho e prometendo que ano que vem será diferente.

Ops! Mentira é pecado?