Em cavalo dado não se olham os dentes e de Amostra Grátis não se reclama, certo? E-RRA-DO!! diz meu “Guia de Boas Maneiras para Moças de Fino Trato”.

Acho que o Guia está correto pelo menos na questão de amostra grátis e conto meus motivos:

Em evento recente ganhei amostras de shampoo e condicionador embalados aos pares naquele sachet de alumínio (ou titânio, sei lá!). Hoje entrei debaixo do chuveiro, molhei a cabeça e fui toda animadinha usar meu mimo e quem diz que conseguia abrir a tal embalagem? Nem mesmo aquele cortinho inútil que costumam apresentar na lateral estava presente.

Mordi, puxei, xinguei, pisei em cima, joguei na parede e nada. Me dando por vencida, mas sem querer desistir,  saí do chuveiro e fui pingando água pela casa inteira em busca de uma tesoura enquanto amaldiçoava aquela embalagem mais hermética do que qualquer tratado de Hermes Trismegisto.

Então, pessoal de marketing e desenvolvedores de embalagens em geral, repitam comigo: “a amostra é para ser usada…a amostra é para ser usada…”. Usar um brinde sem ter problemas faz com que o presenteado goste do presente. Usar a amostra grátis é meio caminho andado para uma avaliação positiva. Então já sabem: “o brinde é para ser usado…a amostra é…”.

Entenderam? Do contrário caríssimos divulgadores e fazedores de embalagem tudo o que vou conseguir pensar é:  “Ô embalagem vagabunda! Será que não querem que ela seja aberta porque o produto é uma porcaria?”.

Para não ficarem pensando que sou mal agradecida e resmungona devo dizer que o shampoo e o condicionador para cabelos mistos ou oleosos cumprem o que prometem. Quando for usar o produto para cabelos tingidos irei munida de tesoura, OK?!