Ordinário é um adjetivo com vários significados, conforme o dicionário Houaiss.  Pode querer dizer ” comum, habitual, regular, medíocre, de má qualidade, sem valor“… Metafóricamente pode significar alguém “cujo valor moral ou intelectual é fraco, menor; mesquinho, reles, inferior” ou “de má índole; sem caráter; reles, ruim“.

A Padaria Dona Deôla fica à uma quadra de minha casa. É um lugar que frequento habitualmente; está ao lado de um grande hospital, muito próxima de uma sinagoga, dois grandes colégios e um shopping center de luxo.  E foi aí, onde compro pão e leite, que uma discussão acabou em morte.

Está se tornando “comum” que pessoas encerrem suas pendengas de maneira violenta. Apenas a arrogância gigantesca pode explicar porque alguém se acha tão importante à ponto de decidir que a ofensa recebida só pode ser resolvida com a morte do ofensor.

É preciso ser uma pessoa de “má indole, sem caráter, reles, ruim” para pegar uma faca ou qualquer outra arma, atacar e tirar a vida de alguém desarmado, ou cuja única arma é a palavra.

E preciso ser alguém  ” cujo valor moral ou intelectual é fraco, menor; mesquinho, reles, inferior” para sentir tanto desprezo pela vida à ponto de sair andando calmamente após ter cometido assassinato.

É preciso gerenciar de maneira bem “medíocre” para permitir que clientes sejam maltratados  e mesmo após reclamação deixar o funcionário no mesmo lugar. É preciso muita cara de pau para dizer que no estabelecimento existe “orientador de salão” e não “segurança”.

É tudo, lamentávelmente, muito ordinário!