Você já guardou um livro na geladeira? Eu já. Também já coloquei o pote com sobras de comida debaixo da pia; já esqueci de desligar o fogo depois de tirar a panela e só percebi quando apaguei a luz da cozinha e um brilho azulado invadiu o ambiente.

No quesito atenção deixo muito a desejar. Por conta de uma miopia linda e antiga se alguém conhecido passar na outra calçada e me cumprimentar, passo vergonha. A menos que o passante use mímica de ventilador de teto, vou bancar a malcriada e, em muitos casos, a ingrata.

Hoje no LuluzinhaCamp me superei. Cheguei com sacolas penduradas nos dois braços, a bolsa no ombro, o netbook em uma mão, caderno na outra e como não podia deixar de ser, distribuindo beijinhos porque Luluzinhas são seres carinhosos por natureza.

Mas ainda bem que Deus é pai! No afã de aliviar um pouco a tralha vi  um balcão de vidro à minha esquerda e corri para colocar primeiro o caderno e depois o resto ali em cima.

Demorei alguns décimos de segundo para perceber que o caderno havia mergulhado em um tanque de água cristalina. O lindo ” balcão”  era um aquário destampado; um recipiente para colocar plantas aquáticas, ou qualquer outra coisa que pudesse boiar, o que não aconteceu com meu caderno. Sniff!

Podia ser pior e ter atirado lá dentro o nebook do meu coração que nem pago está! Repito, Deus é pai!