CalvinTenho a impressão de que vivi em um universo paralelo quando penso nas regras simplíssimas de minha mãe para educar crianças:

1 – Respeite os mais velhos.

2 – Nao maltrate as plantas nem os animais.

3 – Não minta,  e não roube.

4 – Não faça aos outros o que não quer que seja feito para você.

Eventuais deslizes eram punidos as vezes com uma chinelada na bunda, com restrições na ida ao cinema ou ficar sem brincar na rua por um dia ou uma semana, dependendo da gravidade do assunto. Não faço apologia de castigos corporais, mas sinceramente, não conheço ninguém que tenha crescido traumatizado em decorrência dessas punições.

Atualmente shows fazem sucesso na TV  apresentando crianças descontroladas que fazem o que bem entendem; gritam e agridem seus pais e irmãos com chutes, tapas na cara e pontapés, jogam comida pra todo lado, não dormem nem deixam a família dormir. As babás dão conselhos aos pais embasbacados que parecem aliens na questão educacional; os programas são devidamente editado e eu imagino que uma transmissão ao vivo dessa baixaria seria proibida para corações fracos.

Antes as notícias internacionais falavam sobre pré-adolescentes e adolescentes que se organizavam em gangs para perseguir e espancar os outros. A coisa era tão comum lá nos “esteites” que filmes para “teens” estavam cheios de cenas de pancadaria nas escolas. Como somos cosmopolitas e temos o hábito de importar tudo quanto é lixo, o negócio já acontece nas escolas brasileiras.

Aos 7 ou 8 anos algumas crianças possuem um vocabulário de palavrões digno da inveja do estivador mais desbocado e não se acanham de usá-los em público.

Jovens se iniciam precocemente na vida sexual e para muitos garotos está se tornando “normal”   fotografar ou filmar suas parceiras igualmente jovens, nuas ou em situações comprometedoras para depois divulgar as imagens na internet.

Parece que alguma atitudes são “divertidas” : invadir os Orkuts e Facebooks da vida criando falsos perfis para perseguir e difamar outras pessoas; beber com frequência  até cair e alardear alegremente suas bebedeiras no MSN  para parecerem descolados, etc.

Claro que beber, falar palavrão, contar mentiras inofensivas, comentar sobre os namoros com os amigos, entrar em brigas, infringir regras e estabelecer novos comportamentos sempre fez parte da vida das crianças, dos adolescentes e dos jovens.

Algumas pessoas podem pensar que essas observações todas são “coisa de gente velha”,  mas sinceramente,  além do Calvin, que ilustra essa página, e do Mogly que foi criado por lobos, quem mais aí é bonitinho sendo mal educado?