Ana Bebê 01Dia das Mães chegou.

Aqui em casa a rotina que antecede essa comemoração é sempre a mesma, com pequenas variações:

– Mãe, o que você quer ganhar de presente no Dia das Mães?

– Hummm. Qualquer coisa! A paz mundial quem sabe? Ou pensando melhor, quero uma cozinheira!! Não aguento mais comer ali no kilo  e  ir pro fogão todo dia nem pensar.

– Tô falando sério mãe! O que você quer?

– Ah…sei lá! Gostaria de ganhar um carro último tipo com motorista; uma casa em condominio fechado e seguro, com acesso ótimo para a internet, com quintal grande, árvores no quintal, cachorro, periquito, papagaio…; ou um netbook daqueles pequenininhos e todo enfeitadinhos, mas que são poderosos…; ou um blueberri…; ou …

– Mãe, blueberri não existe.  É BlackBerry!!

– Ah tá bom, errei na cor! Mas olhe filha, sei que seu salário atual não pode comprar nada disso, então quero uma tiara.

– Tiara mãe?! Como assim?

– Aquelas tiaras com uma florzinha do lado, sabe?

– Sei…

Ainda não descobri qual será meu presente, mas na verdade eu, como a maioria das mães, fico contente com qualquer coisa. Só não vale eletrodoméstico que é um horror e nos deixa com a sensação de que filho quer ver a gente no lesco-lesco da faxina forever.

De resto aceitamos de tudo: roupa, livro, acessório, flores, viagem, carro, casa, cozinheira, cachorro, jóia, TV de plasma, cadernos bonitinhos, bijux, celular e bugigangas de toda espécie. Mas o principal presente é o beijo e abraço que vem junto. Tem coisa melhor?