Deus do Céu!!! Surtei legal agora…

Essa crise que está abalando os mercados mundiais chegou aqui em casa e não é mimimi… Eu, uma simples brasileira que não tem nada a ver com especulações no mercado financeiro estou sendo abatida por um míssel megamastergigante gerado lá nos esteites.

Antes que fique parecendo paranóia, vou explicar. Quando o tempo e a inspiração permitem faço umas coisinhas em patchwork, tipo bolsas, colchas, toalhas de mesa, descanso de pratos, jogos americanos (ops!), etc. Para isso uso tecidos de puro algodão que dão um caimento perfeito e têm estampas lindas.

Os tecidos que encontro aqui em São Paulo quase nunca atendem aos meus loucos desejos criativos e vez por outra compro através de catálogo uns poucos metros lá nos EUA. Eles mandam por correio e, acreditem ou não, a variedade de cores e de estampas são incríveis; os tecidos são muito mais macios que os nossos e a trama é bem mais delicada; além disso eles tem muito cuidado com as embalagens e tudo chega direitinho.

Nunca compro valores muito altos porque sou pobrinha,  mas dessa última vez resolvi investir (ops!) um pouco  e fazer umas coisinhas legais pra vender no Natal e aumentar meus parcos rendimentos. Daí num momento de audácia importadora, aproveitei que o dólar estava baixinho e gastei um pouco mais. Pagaria no cartão de crédito em uma única parcela e tudo estaria bem, sem juros ou correção.

Durante exatos quatro dias fiquei feliz da vida imaginando as coisas lindas e originais que iria fazer e que poderia vender por precinhos acessíveis ganhando um rendimento extra, tão necessário nesse momento. No quinto dia tudo começou a desabar; devido à essa crise iniciada nos EUA o maldito dólar passou a se comportar como um rojão desembestado e lá se foram minhas parcas economias e minhas idéias brilhantes de como ganhar um dinheirinho. Eu, modesta dona de casa brasileira, passei a sofrer as consequências do tombo dos bancos americanos.

Será que esses caras que geraram a crise sofrerão de verdade com isso tudo? A resposta é NÃO! É óbvio que todos eles estão em situação financeira muito melhor do que a minha; é óbvio que irão curtir esse fracasso momentâneo em alguma praia bem legal ou à bordo de um iatezinho elegante. Se forem um pouco mais discretos, permanecerão em seus magnifícos apartamentos bebendo um drinquezinho puro, com gelo ou com azeitona. O que interessa à eles se estou surtando e tentando encontrar uma maneira de cobrir esse rombo nas minhas finanças?

Estarão preocupados comigo e com outras milhões de pessoas afetadas em maior ou menor grau pela lambança que aprontaram? A resposta mais uma vez é NÃO!  O que interessa à eles se no mundo inteiro pessoas perderão seus empregos e irão se encontrar em situações muito difíceis de serem resolvidas? Se a inflação irá aumentar em grande parte do planeta? O que interessa à esses pequenos deuses, esses Sherman MacCoy da vida, se os outros se esborracham?

Num outro surto psicótico, e agora vingativo, desejo com todas as minhas forças que todos eles percam num passe de mágica, cada centavo acumulado em suas contas bancárias e que vão todos pra puta que os pariu para o inferno. Segundo as Lições Revolucionárias que vi num anúncio do livro The Secret de Bob Proctor meus desejos se tornarão realidade. Pena que não tenho dinheiro pra poder comprar esse livro e aprender mais esse milagre americano! Aliás, o Dr. Proctor pode se juntar aos banqueiros americanos lá no inferno ou naquele outro lugar. Não preciso das lições dele; sou brasileira e tenho fé em Deus que também o é e certamente atenderá o meu desejo!