coração partidoVou fazer o papel de advogado do diabo porque cansei de ler e ouvir a frase que dá título á esse post, geralmente dirigida às moçoilas que foram dispensadas postas de lado por  romperam com seus namorados, maridos ou amantes.

Como assim “não te merece”? Tudo bem que a frase é dita com a intenção de levantar a auto-estima rastejante da abandonada, mas o que impede que uma relação seja rompida pelo homem simplesmente porque não está funcionando? 

Mesmo que a dor de amor seja grande  e a separação difícil, nunca vi um homem dizendo pro outro, à titulo de consolo, que a fulana não era “merecedora” de tão sublime companhia.

Salvo raras excessões, quando ele leva o tradicional pé na bunda  a dispensa, o que escuta dos amigos é : “parte pra outra” ou “o que não falta é mulher”. Para ajudar na fase de esquecimento, os bons amigos promoverão umas noitadas no bar regada à álcool e mulheres onde o preterido remendará seu coração partido; ou um campeonato de rock band (onde também haverá a presença de cerveja e mulheres) dependendo dos interesses do grupo.

Então meninas, que tal pararmos com essa mania bobinha e fácil de tentar tampar o sol com a peneira? 

Que tal dizermos às nossas amigas, irmãs, filhas, mães, tias, avós, ou seja lá quem for a mulher ao seu redor que esteja  necessitada de apoio, que apenas não deu certo por “n” motivos.

O fracasso da relação e o rompimento por parte do homem pode ser por pura falta de afeto mútuo, por relacionamento sexual ruim (sim, as mulheres comentam isso com as amigas e  o/a  “ruim de cama” é fato), por objetivos e interesses diferentes, por falta de desejo de comprometimento, por ciúmes, por galinhagem explícita, falta de tempo,  por chatice, sei lá. Nos motivos cabe sempre um enorme etc.

O que não dá é colocar a mulher em um pedestal de coitadinha ou de deusa traída. Sinceridade e objetividade temperada com respeito e amor podem ajudar a amiga a “sair da lama”  muito mais rápido do que ficar reforçando a idéia de que ela  foi  injustiçada.

Vale juntar as amigas e insultar “o canalha”; o ato de falar palavrões conhecidos e até de inventar alguns adequados à situação faz bem à saúde e é muito divertido. Dá uma incrível sensação de bem estar e alma lavada , podem acreditar.

Temos os relacionamentos que alimentamos. Se eles dão certo ou não é outra história. A vida às vezes nos prega peças de mau gosto e chorar de vez em quando pode, mas com prazo de validade, ok?!  Nem as melhores amigas vão aguentar por muito tempo uma moça baixo astral se derretendo em prantos à simples menção do nome do “ex”.

Cabeça erguida, olho no futuro e pé na estrada meninas, mesmo nas situações em que fomos injustiçadas de verdade.

Grudem os cacos do coração partido e vão em frente! Um coração remendadinho com cuidado se torna mais forte para o próximo embate, como eu bem sei.

About these ads